erros comuns de empreendedores de primeira viagem

9 erros comuns de empreendedores de primeira viagem

Conhecer erros comuns de empreendedores é uma forma de evitar problemas no seu negócio e começar sua jornada com mais confiança.

Quem abre uma empresa se depara com uma série de desafios, alguns deles imprevisíveis, outros que podem ser esperados.

Então, vamos mostrar alguns atalhos para que você consiga evitar problemas, aproveitando a experiência de outras pessoas que já trilharam esse caminho.

Continue lendo e comece seu negócio com o pé direito.

9 erros comuns de empreendedores iniciantes

Veja a seguir quais são os erros mais comuns de empreendedores iniciantes e prepare-se para preveni-los no seu negócio:

1. Não ter um plano de negócio

Um dos erros mais comuns dos empreendedores iniciantes é começar a empresa sem ter um plano de negócio estruturado.

Esse instrumento é essencial para planejar o funcionamento da organização e detalhar todos os recursos necessários para iniciar as operações.

Estes são os aspectos que não podem faltar no planejamento:

  • Nome da empresa e segmento
  • Definição do público-alvo
  • Descrição do produto ou serviço e seus diferenciais
  • Definição dos canais de venda
  • Análise do mercado e concorrência
  • Capital social (investimento inicial)
  • Capital humano (contratações)
  • Plano operacional (produção, estoque, logística, etc.)
  • Planejamento financeiro (formação de preço, capital de giro, projeção de vendas, custos, etc.)
  • Plano de marketing
  • Indicadores e resultados esperados.

2. Não se formalizar

Um dos piores erros de empreendedores iniciantes é começar um negócio sem se formalizar.

Você pode até começar a vender como pessoa física, mas, para se profissionalizar, precisa ter um CNPJ, emitir nota fiscal e recolher impostos.

Nesse caso, abrir MEI e tornar-se um microempreendedor individual é a solução.

Nessa modalidade, você pode abrir seu CNPJ gratuitamente e online, pagar os menores impostos entre os tipos empresariais e ainda contratar um funcionário, desde que fature até R$ 81 mil ao ano e tenha suas ocupações entre as atividades permitidas.

3. Não separar as finanças pessoais das empresariais

Outro erro comum de empreendedores que pode ser perigoso para os negócios é não separar as finanças da empresa das finanças pessoais.

Esse deve ser um dos primeiros passos do empreendedor para garantir a saúde financeira do empreendimento.

Isso porque, ao misturar as contas, o gestor pode acabar fazendo saques para uso pessoal e prejudicar o fluxo de caixa do negócio.

4. Não fazer a gestão financeira

Muitos empreendedores de primeira viagem acham que basta olhar para o faturamento e para o volume de vendas para controlar as finanças do negócio.

No entanto, a gestão financeira eficiente exige um acompanhamento contínuo dos custos, receitas e despesas da empresa.

Somente dessa forma será possível apurar os lucros do negócio, reduzir custos e buscar o crescimento.

5. Não pagar o DAS em dia

O DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) é a guia da contribuição do MEI que deve ser paga mensalmente, referente ao recolhimento do INSS e aos impostos devidos pela empresa.

Essa é a única obrigação do microempreendedor e deve ser cumprida pontualmente, para evitar a incidência de juros e multas.

Lembrando que, dependendo do tempo de atraso nos pagamentos, o empreendedor pode até ter seu CNPJ cancelado, além de ficar com uma dívida no seu CPF.

6. Não calcular o preço de venda corretamente

A precificação de produtos e serviços é uma das etapas mais importantes da gestão empresarial.

Porém, muitos empresários inexperientes acabam definindo preços de venda sem os critérios adequados e, dessa forma, têm prejuízo ou lucram abaixo do esperado.

Para evitar esse erro comum de empreendedores, você deve calcular os preços de produtos e serviços com base nos custos do negócio, por exemplo nos encargos gerados ao usar maquininha de cartão para comprar produtos, nos valores praticados pela concorrência e na capacidade de pagamento do seu consumidor.

7. Não estudar sobre gestão

Há empreendedores que acreditam possuir um “tino” para negócios, uma habilidade natural, e por essa razão, deixam de se capacitar.

Esse é um erro fatal que pode condenar a empresa a uma falência precoce, uma vez que a gestão profissional é essencial para sustentar um negócio.

Por isso, é preciso buscar cursos na área, como aqueles oferecidos pelo Sebrae, e também participar de eventos, ler livros, acompanhar influenciadores de negócios, etc.

8. Não acompanhar a legislação e o mercado

A legislação brasileira está em constante mudança, da mesma maneira que o mercado.

Logo, o empreendedor que não se mantém atualizado comete um erro grave, uma vez que é preciso estar atento às tendências para crescer e acompanhar as alterações regulatórias para cumprir as obrigações do negócio.

Alguns pontos a serem observados são o surgimento de novas leis que afetam a empresa, a entrada de novos concorrentes e as mudanças nos hábitos de consumo dos clientes.

9. Não aprender com os erros

Por fim, o empreendedor que não reflete sobre seus erros e deixa de aprender com eles está começando sua jornada de forma equivocada.

Errar no empreendedorismo é natural e acontece o tempo todo, mesmo com os mais experientes.

Portanto, o empresário iniciante deve se preparar para ser um eterno aprendiz e fazer de cara erro uma nova oportunidade de aprendizado e crescimento.

Anotou os erros comuns dos empreendedores para não cometê-los?

Então, continue acompanhando o blog para mais dicas de empreendedorismo!